março 21, 2019

E você, saiu do armário canábico?

colunistas
4 min de leitura

A cada dia a cannabis ganha mais porta-vozes e isso significa uma grande conquista!

Acompanhar essa dinâmica, observar diferentes ambientes apresentando a cannabis como alternativa para várias situações é muito positivo, pois abre oportunidades para a difusão da cannabis medicinal. No caso da saúde, a planta é uma importante aliada a tratamentos que podem garantir mais qualidade de vida a milhões de pessoas. Precisamos abrir mais portas para que o tabu diminua e a informação correta se espalhe.

Destaquei três pessoas de visibilidade, atuação e personalidades diferentes que recentemente fizeram a defesa da planta e que reforçam o quanto devemos falar sobre esse assunto. Um padre, um juiz e uma apresentadora de televisão certamente despertaram muita gente ao tocar no tema cannabis.

Em evento organizado pelo Padre Ticão, em parceria com a UNIFESP, a Paróquia São Francisco de Assis, zona Leste da cidade de São Paulo, recebeu entusiastas para ouvirem profissionais discorrerem sobre a cannabis medicinal. Em algum momento, o pároco falou ao público: “Não vou dizer que Deus é maconheiro, eu realmente não sei. Mas com certeza ele é cannabista”.

Pode soar incomum que uma paróquia receba um evento sobre cannabis medicinal. Mas havia interesse no tema: foram mais de 500 inscritos! Entre os participantes certamente haviam médicos, familiares, pacientes e pessoas interessadas na temática e por que, então, não poderíamos falar sobre isso na paróquia? Estudos comprovam os benefícios da planta para o tratamento de diferentes sintomas e condições e devemos aproveitar todas as oportunidades para abordar essa temática. Neste caso, foi a própria comunidade da paróquia que sugeriu a pauta, estimulada por uma associação da região que trata crianças com deficiência.

E você, já saiu do armário canábico? - Juiz Luis Carlos Valois

Luis Carlos Valois, juiz de direito.

Um outro registro a favor da cannabis medicinal partiu de Luis Carlos Valois, juiz de direito conhecido por encampar a defesa do antiproibicionismo. Em postagem em suas redes sociais, ele ironizou a hipocrisia do Brasil com a política de drogas, em especial a cannabis. Inclusive, já li relatos do juiz, que também é porta-voz da Law Enforcement Against Prohibition – LEAP (Agentes da Lei contra a Proibição), contando sobre como sentiu maior perseguição após se posicionar a favor do uso da cannabis. E, com a falta de conhecimento, as pessoas julgam que um juiz, mestre e doutor em direito penal e criminologia, membro da Associação de Juízes para Democracia – AJD, autor da tese de doutorado “O direito penal da guerra às drogas” não possa falar sobre cannabis.

Já Martha Stewart, a Ana Maria Braga dos Estados Unidos, fechou parceria com a Canopy Growth – uma das maiores empresas de cannabis do mundo – e prestará consultoria para uma linha de produtos para humanos e animais contendo canabidiol (CBD). Com isso, Martha aumentará o número de produtos que tem em seu variado portfólio, que vão desde sapatos até itens de escritório e rosas. Aos 77 anos, Martha se une a um mercado já bem conhecido pelo rapper Snoop Dogg, empresário e investidor do setor de cannabis, com quem ela divide o palco em um programa de culinária.

Sabemos que cada país apresenta uma legislação para o acesso a produtos à base de cannabis, mas já é tempo de a sociedade se despertar sobre a descriminalização da planta. As pessoas estão saindo do armário canábico e os estímulos são muitos: a comunidade e a necessidade de alternativas de tratamento, o aumento da projeção de informações sobre benefícios da planta e/ou o irrefreável mercado.


 

VIVIANE SEDOLA
CEO & Founder da Dr. Cannabis

Gostou do artigo?
Avalie:
Média de votos
Loading...